Me rendi ao iluminador, mas ele não se rendeu a mim. E agora?

iluminador1

Quem é que vê uma foto dessas e não fica apaixonada pelo efeito do iluminador numa make? Ele deixa esse glow rico sem aquela cara de quem consegue fritar um ovo no lugar. Confesso que até demorei um pouco para me render, mas não demorou muito para abrir mão do contorno às vezes e experimentar a técnica de strobing (que é quando você faz o contorno com o iluminador, deixando um aspecto bem mais natural).

São várias as opções no mercado: tem em pó, líquido, bastão… Basta descobrir com qual se identifica mais. Eis que você compra o seu, prepara a make e tem a impressão que ele nem está ali. Uér?

Bom, vamos por partes, então. Preparei um guia de sobrevivência básico para o iluminador com dicas de como utilizar e por que o seu não está ficando tão bem assim.

Prepara os pincéis tudo e só vem:

1 – Escolha bem sua cor

Dizem os maquiadores que, para deixar um aspecto menos artificial, você precisa se acertar no tom do iluminador. Para quem tem a pele mais clarinha, vale investir em tons como champagne e perolado. Já as morenas podem arrasar no bronze com fundo dourado, principalmente agora no verão.

2 – Conheça o território

Sabe onde você precisa aplicar o iluminador? Então, tudo depende da sua intenção com a make, mas, basicamente, você precisa ter alguns pontos em mente. São eles: logo abaixo dos olhos, para levantar o olhar e ressaltar as têmporas, bem no meio do nariz para o afinar, no meio da testa (principalmente se você tem o rosto redondo ou oval) e no arco do cupido para aumentar os lábios.

Na imagem aqui tá bem mais explicativo:

iluminador-onde-aplicar

3 – Prepare suas armas

Às vezes, o problema para o iluminador não pegar bem no seu rosto não é nem a cor, nem o formato que você escolheu, mas sim a forma como está aplicando. Há quem prefira aplicar com os dedos e acho que realmente funciona para bastão e talvez para o líquido, mas não com o pó.

Tem um pincel “vassourinha” que é específico para iluminador e muito prático. É só aplicar o iluminador na pontinha das cerdas e passar no rosto.

pincel-vassourinha

Para creme e/ou líquido, você pode pegar um pincel mais fofinho.

4 – Hidratação sempre

É aquela coisa, né, uma pele bem cuidada sempre vai fazer a diferença no resultado final. Quando a pele tá seca, fica com uma textura menos lisinha e também reflete menos luz. Pode caprichar nos hidratantes e naquele bom e velho truque de beber bastante água, que serve para tudo na vida, não é mesmo? (;

5 – Dobradinha power

Se você curte aquele iluminado bem marcado, então pode separar dois iluminadores: um cremoso e outro em pó. Primeiro você aplica o cremoso e/ou líquido e, depois, entra com um mais sequinho por cima, que pode ser em pó.

iluminador2

6 – Cuidado com a base!

Quando você aplica dois produtos com a mesma consistência, um “arrasta” o outro. Cuidado para não acabar com a preparação da pele e tirar a base. Se seu iluminador é cremoso e/ou líquido, não aplique direto sobre a mesma, mas sele com o pó antes.

7 – E agora, por onde eu começo?

Bom, se você ainda não escolheu seu iluminador, sugiro testar vários para conhecer as cores e formatos e ver com o que você se adapta melhor antes de comprar. Eu, particularmente, amo/sou os da Benefit. Eles têm em bastão ou líquido, como o High Beam (que já foi eleito um dos melhores). Outro que tem fixação boa e cores maravilhosas é da The Balm, que é em pó. Agora se você quer um baratex para começar, sugiro o da Ruby Rose. Esse você encontra nas perfumarias da vida (e na ~twenty five~ se você for de SP) por um preço bem acessível. Ele é dupe do Soft and Gentle da MAC e custa quanto? Isso meeesmo, R$9,90.

Sobrou alguma dúvida por aí? Qualquer coisa, só vir nos comentários que a gente tenta se ajudar <3

Fotos: nenhuma minha, beeejo

Bruna Manfré

não é boa com descrições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *