Noel Gallagher fala sobre o disco novo, Beyoncé e de quanto precisa pra voltar com o Oasis

noel-gallagher-shelter

Entrevista com o Noel Gallagher é aquela coisa, né? A essa altura, todo mundo já espera para saber de quem ele vai falar. Dessa vez, sobrou pra Kanye West e Beyoncé, porque ele não ficaria de fora da treta do Grammy.

O músico, prestes a lançar “Chasing Yesterday”, trocou uma ideia com a Vulture e soltou poucas e boas. Separamos as melhores partes dessa conversa aqui no Shelter:

Sobre quanto ele precisaria pra voltar com o Oasis

“Meio bilhão. Se alguém botar isso na mesa, eu arrumo minhas malas na mesma manhã e pergunto quantos shows ele quer. O que me irrita um pouco é que as pessoas assumem que só depende de mim. Vamos dizer que eu levante amanhã, me alongue e vire para minha mulher ‘E essa coisa do Oasis, hein?’. Não depende de mim. Quem sabe se Liam quer voltar? Ele provavelmente quer, mas eu não sei. Não é algo que está no meu radar, mesmo. Estou muito feliz com o que tenho feito.”

Para que ele precisava de Liam

“Ele é bonito. E ele tinha a atitude, sabe? Estar numa banda é a coisa mais poderosa do mundo e ele era ótimo. O Oasis era, igualmente, nós cinco e ninguém devia subestimar sua parte no grupo, mas ele nunca me ajudou a escrever uma porra duma música. Então, artisticamente falando, não preciso de nenhum deles. E, uma vez em que você passa vinte anos numa banda e sai, pra que vai querer voltar?”

O que Noel achou de Kanye criticando Beck

“Se eu fosse o Beck, entregaria o prêmio para Kanye junto com um dicionário e diria ‘dê uma olhada no significado de talento e veja se isso se aplica à Beyoncé’. Se talento é balançar a bunda no palco, ela é ótima. Posso destacar aqui que Beck sabe tocar banjo? Só isso já valeria um Grammy. Você precisa ser muito cool para tocar banjo. Eu que sei, porque toco banjo e posso dizer que é bem difícil.”

E, por fim, se existe alguma possibilidade de gravar com Damon Albarn

“Bom, primeiro eu preciso explicar como essa discussão aconteceu e depois respondo se faria ou não algo com ele. Você mora em Nova York e seu amigo na Califórnia, então, se ele vem para o fim de semana, você o convida para um drink. E é o mesmo com Damon, ele sempre vai dizer ‘Hey, deveríamos fazer algo um dia’. Agora, se eu faria? Com certeza. Passaria alguns dias no estúdio dele, vendo se sai algo daí. Só que se isso vai acontecer? Eu ficaria realmente surpreso se nossos dias de folga coincidissem. Mas gosto dele.”

A conversa ainda se estendeu por vários tópicos, muitos deles voltando a falar do disco novo. Você pode conferir tudo aqui.

Foto – TV3

Bruna Manfré

não é boa com descrições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *