Sarah Abdala retorna às origens com o single “Migrante”

Tive a chance de ver Sarah Abdala ao vivo na época de “Oeste”, álbum que explorava com maestria os ambientes onde cresceu, explorando arranjos bem elaborados, sentimentos e nuances por meio de algumas experimentações sonoras que funcionavam bastante.

Foto: Tai Fonseca

Aparentemente, a ideia deu certo. Tanto que “Migrante” leva isso ao extremo, utilizando sons orgânicos sem se preocupar em polir demais a faixa. “Eu quis deixar o que chamam de ‘imperfeições’, aquela esbarrada sem querer na corda da viola… A afinação do baixo… Não quis ficar ‘higienizando’ a música”, ela explica.

Dessa forma, há uma humanidade maior na faixa, necessária para um tema tão delicado quanto a migração, que muitas vezes representa um recomeço depois de acontecimentos violentos ou opressores.

Além de Sarah, Tai Fonseca assina a composição, que conta com a participação de Marcelo Callado (Banda Cê, Do Amor) na percussão e Lucas Vasconcellos (Letuce, Legião Urbana) no baixolão.

Ouça o resultado aqui:

Bruna Manfré

não é boa com descrições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *