Tudo o que você precisa saber sobre Black Pumas

Quando saem as indicações do Grammy, sempre rola aquela hesitação. Diferente da BBC Sound of…, que reúne um júri com olho para tendências, ou mesmo de um Brit Awards, que consegue se diversificar em suas indicações, a premiação ainda patina para se atualizar e nem sempre acerta.

Neste ano, surpreendeu. Não só por enaltecer uma artista revelação como Billie Eilish em diversas categorias, mas também por abrir espaço para o novo – incluindo aí o Black Pumas. O duo, recém anunciado pela Balaclava Records no Brasil, foi uma grata surpresa entre revelações como a própria Billie, Lil Nas X, Rosalía e Lizzo.

No dia 24 de abril, eles sobem ao palco do Cine Joia após uma série de apresentações completamente sold out e um slot no lineup do Coachella. No dia seguinte, chegam em Piracicaba para mais uma data no Brasil.

Até lá, separamos tudo o que você precisa saber sobre eles.

A dupla surgiu no berço do SXSW

Desde o início do SXSW, a cena musical de Austin se fortalece e festivais como o Austin City Limits começam a tomar maiores proporções. Foi nesse cenário que Eric Burton e Adrian Quesada uniram forças.

Aliás, sua estreia foi dentro do próprio SXSW, onde fizeram seis sets durante toda a programação. Com isso, levaram para casa o prêmio de melhor banda nova do Austin Music Awards 2019.

Foto durante nossa cobertura do ano passado, em parceria com o Estúdio Gaveta

Seu som é uma mistura de referências

É difícil categorizar o Black Pumas em um único gênero. A banda de soul psicodélica tem raízes firmadas na Motown, tanto que as comparações, inclusive com James Brown, foram imediatas. Mas o groove do grupo se mistura a influências da música latina, do hip-hop e do rock, criando um som verdadeiramente único.

Das ruas para as premiações

Eric Burton, o vocal do grupo, aprendeu a cantar no coral da igreja. Nascido e criado em San Fernando Valley, na Califórnia, ele se apresentava no Santa Monica Pier. Quando mudou para Austin, continuou fazendo apresentações de rua até um amigo em comum fazer a ponte com Quesada.

Seu teste aconteceu pelo telefone e ele aceitou porque era uma chance de pagar os boletos. “Eu nem conseguia ouvir muito bem”, contou Quesada, “mas sua paixão e energia foram contagiantes”. O resto a gente já conhece muito bem.

Foto: Lyza Renee

Feat de respeito

Com Adrian Quesada, a história já é bem diferente. Para começo de conversa, ele ganhou sua primeira indicação ao Grammy dentro no Grupo Fantasma, coletivo com nove integrantes que toca funk. Dois anos depois, levaram o prêmio na categoria de melhor álbum latino de rock, música alternativa ou urbana.

Como produtor, também trabalhou com nomes como Prince, Daniel Johnson e Kali Uchis. Só artista de peso.

Bonus track!

Em São Paulo, a abertura fica por conta da cantora e guitarrista Jadsa. Com uma brasilidade latente, ela traz a Bahia em suas composições – letra e som. Toca, distorce, traz sua intensidade em cada música.

Na apresentação, vamos ouvir, quase em primeira mão, o repertório baseado em seu álbum de estreia. “Olho de Vidro” está previsto para o primeiro semestre deste ano, também pela Balaclava.

Black Pumas em São Paulo

24 de abril – sexta – às 21h30

Segundo lote: R$ 100 (meia estudante e meia solidária) e R$ 200 (Inteira)

Terceiro lote: R$ 120 (meia estudante e meia solidária) e R$ 240 (inteira)

Cine Joia – Praça Carlos Gomes, 82 – Sé

Capacidade: 1.200

Vendas online: https://www.ingresse.com/black-pumas-e-jadsa-ingressos-z

Bruna Manfré

não é boa com descrições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *