Um quem é quem do lineup do Secret Festival

secret-festival

Anota aí na agenda: dia 06/11 acontece o Secret Festival, organizado pelos mesmos curadores do Sofar Sounds. Enquanto no último a galera não tem ideia nem de quem vai tocar até chegar lá, no festival, o segredo é o local: tudo o que descobrimos até agora é que será em uma fábrica têxtil dos anos 1930, hoje desativada.

O lineup, no entanto, não é mais surpresa para ninguém. E para te animar para o rolê, preparei um “quem é quem” da edição de SP para você já ir se habituando, conhecendo novas bandas e, quem sabe, descobrindo sua próxima preferida:

TOPS

Sempre fiquei meio assim com bandas do Canadá… Também, olha quem veio de lá: Nickelback e Avril Lavigne, que dispensam comentários. Porém, a Arbutus Records é ligeira e apresentou nomes como Grimes para o mundo. Outra descoberta da gravadora foi o TOPS, trio de indie rock que flerta bastante com o pop. Eles chegam pela primeira vez ao país para apresentar músicas como “Anything”, que você conhece aí embaixo:

CHARLY COOMBES

A segunda atração é o inglês Charly Coombes. E se o nome te lembrou alguma coisa é porque 1 – ele é irmão de Gaz e Rob Coombes, do Supergrass ou 2 – você já viu seu trabalho antes, seja solo, em algum show pelo Brasil, ou no 22-20s. O músico explora o folk e já abriu para o Supergrass e para o Taylor Hawkins em seu projeto paralelo ao Foo Fighters.

MAHMUNDI

Mahmundi queria ser guitarrista e produzir alguém. Esperou o artista certo chegar por um tempo, então decidiu gravar suas ideias em EPs e estourou no Rio. Hoje em dia, ela assinou com o StereoMono, um dos selos do Skol Music, e lançou um disco carregado no synthpop e R&B, trazendo referências oitentistas.

CARNE DOCE

Antíteses e psicodelia definem um pouco do que é o Carne Doce. O grupo goiano chegou a seu segundo álbum botando o dedo na ferida e falando abertamente sobre assuntos polêmicos, como aborto, por exemplo. Atenção à poesia feminista da Salma Jô!

LUMEN CRAFT

Lumen Craft foi uma grata surpresa do MECA. O trio paulistano mantém a indietrônica viva e com qualidade por aqui. Seu som, em definição própria dada para o Thump, é como “Marvin Gaye e Bill Withers numa suruba light com SBTRKT e James Blake servindo coquetéis anos 90”. Se você já não estivesse convencido por aí, as apresentações ao vivo ainda contam com produções audiovisuais incríveis feitas por eles.

TERNO REI

A gente não cansa de tecer elogios para as bandas de Goiânia ou do sul por aqui, mas vez ou outra surge uma banda de SP que chama nossa atenção – e foi assim com Terno Rei. O quinteto assinou com a Balaclava Records e lançou seu primeiro álbum, “Vigília”, em 2014. Suas músicas trazem muito do dream pop e certa melancolia nas letras. Ouve só:

Bruna Manfré

não é boa com descrições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *